Compartilhar

Viver sem dores: desejo de grande parte da população

Várias terapias podem ajudar no tratamento das dores crônicas, uma grande vilã da qualidade de vida

A dor musculoesquelética é a dor mais prevalente na população mundial, atingindo todas as faixas etárias. essas dores estarão presentes na vida de todos os adultos em algum momento ao longo de sua vida, seja em um único episódio ou de maneira recorrente. A dor é algo fisiológico, necessário para nossa proteção, desencadeando um reflexo por exemplo ou servindo como sinal de alerta de que algo não está funcionando corretamente no nosso corpo. Alterações tanto no mecanismo de percepção da dor como no mecanismo de bloqueio ao estímulo doloroso são danosas e podem acarretar quadros crônicos de dor, como os que temos visto crescer e superlotar os serviços de saúde. A resposta a dor é multifatorial e tem envolvimento até com a cultura de cada indivíduo. Certamente, o estilo de vida pode desencadear ou manter uma dor. E isso certamente terá impacto na sua qualidade de vida: independência, humor, relacionamentos e até produtividade. Portanto, aqui vão algumas dicas para que você viva sem dor:

Alimente-se bem

Isso quer dizer se abster de alimentos que promovam ou que estimulem o quadro inflamatório tecidual. Alguns tipos de alimentos por exemplo, desencadeiam ou mantém um estado inflamatório constante no corpo, como é o caso do açúcar, leite e o excesso de glúten. Utilizar alimentos adequados alivia as dores, já que certos nutrientes são responsáveis pela síntese dos neurotransmissores (mensageiros cerebrais) associados à sensibilidade, dor e sensação de bem-estar. Uma alimentação variada, rica em legumes, verduras, frutas, grãos e sementes, certamente terá efeito anti-inflamatório no seu corpo, bem como fortalecedor do sistema imunológico, para prevenir e combater doenças.

Controle o estresse

Os altos níveis de estresse desregulam o mecanismo da dor, exacerbando ou mantendo por tempo prolongando o estímulo doloroso. A tensão ainda provoca mais estresse muscular, podendo desencadear crises dolorosas.

Pratique exercícios

As endorfinas, substância liberada durante e após o exercício são analgésicas e geram sensação de prazer, atenuando as dores existentes e prevenindo dores futuras, pelo fortalecimento global articular e muscular. Sempre importante descobrir qual a melhor atividade, intensidade e frequência para você, através de uma avaliação médica e de um profissional educador físico.

Utilize terapias naturais e manuais

Cada organismo reage diferente a um tipo de tratamento, portanto, procure estímulos variados para aliviar suas dores, da maneira mais natural possível: Geoterapia, hidroterapia, fisioterapia, osteopatia, dentre outros recursos, podem ser um alívio muito eficaz e te surpreender com os resultados. Viver sem dores, de forma plena, com as capacidades físicas e mentais preservadas, com certeza é o primeiro passo para ser feliz. Aprenda a conhecer e respeitar os limites do seu corpo, cuide-se e seja muito feliz!

Comentários